As Leis de Murphy aplicadas à Liderança e Administração

 



As Leis de Murphy aplicadas à Liderança e Administração


Vamos colocar aqui 3 artigos falando de 13 desdobramentos da famosa Lei de Murphy, de uma forma que talvez você nunca tenha percebido.


CAPÍTULO 1 - DAS PRIMEIRAS 4 LEIS


 O engenheiro aeroespacial Edward Aloysius Murphy  estava a frente de um experimento em 1949, cujo objetivo era simplesmente medir os Efeitos da aceleração e desaceleração em pilotos de caça.


Para poder realizar essa aferição, ele construiu um equipamento que registrava os batimentos cardíacos e a respiração dos pilotos. Ele deveria apresentar os resultados do teste; contudo, visto que o técnico responsável instalou o equipamento de forma errada, os sensores que deveriam registrá-lo falharam exatamente na hora. Frustrado, Murphy disse "Se este homem tem algum modo de cometer um erro, ele o fará". Para tirar sarro do colega, seus amigos militares batizaram a assertiva como Lei de Murphy.

 

O resto da história você já conhece. A Lei ficou famosa no mundo inteiro, e hoje, inúmeros desdobramentos do conceito, “não se preocupe, vai dar errado" aparecem de diversas formas. Na verdade, a Lei é uma só, mas os desdobramentos acabaram ficando tão famosos quantos a original.

Mas a grande questão aqui, é que independente do ponto de vista negativo de Murphy, o experimento realmente deu errado. E para quem conhece a metodologia extrema de testes e pesquisas aeroespaciais, isso é algo notável.

 A história da lei de Murphy trata principalmente, da postura que as pessoas têm em relação aos desafios que enfrentam. Não é preciso ser o pessimista de carteirinha, para avaliar que algo pode dar errado. Isto é tão importante, que vários sistemas normativos, tentam buscar as soluções. Temos a análise de FMEA na indústria automotiva ou análise de riscos em várias outras.

Ao  mesmo tempo  que procuramos técnicas para garantir produção e prestação do serviço, precisamos encarar também esse problema do ponto de vista de liderança. Uma espécie de boas práticas preventivas ...

Para ajudar nessa empreitada, preparei uma análise dos principais desdobramentos da lei de Murphy .

 Divirta-se.


1° Lei - A original

“Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.”

Solução : preparação é tudo em um planejamento.

Eu diria que esse pensamento é a meca do pessimismo. Isso remete a algo que nós temos herdado de nossa carga evolucionária. O nome disso é medo. O Medo é um sentimento que nos trouxe até aqui. É por conta dele que nós não testamos o que acontece ao pular do nono andar.

Profissionalmente falando, eu poderia aqui discorrer sobre um número extremamente grande de profissionais, cujas carreiras falharam, por achar que tudo iria dar certo e agiram absolutamente sem medo. O medo saudável, é a preocupação de ter que lidar com problemas.

Não acreditar que o medo pode ser um aliado, leva você a enterrar a cabeça no chão como um avestruz.

Então para lidar com o medo ou algo que pode dar errado, comece acreditando que realmente dará.
Imagine por exemplo, que você está pensando em pular de paraquedas. Qual o primeiro pensamento que te vem à cabeça? O pára-quedas reserva...

lá está o medo novamente, mostrando o caminho do planejamento. Quando você acreditar que tudo pode dar errado, você vai tomar providências para lidar com isso.

Então a primeira lei de Murphy me leva ao seguinte:

  • Vou tomar todas as providências para que não dê errado. Vou fazer um elenco de possibilidades sombrias, e vou criar mecanismos para evitar que elas aconteçam.
  • Vou  tomar todas as providências para lidar com o que deu errado. Vou fazer um elenco de ações que serão tomadas caso algo de errado.
  • Vou  tomar todas as providências para saber se as minhas providências vão funcionar. Vou juntar a minha equipe e todos os envolvidos, ou só a mim mesmo, e vamos treinar.

Podemos dizer então que acreditar na primeira lei de Murphy, nós torna precavidos e nos força a usar nossa inteligência para que não sejamos pegos de surpresa. 

  

2°Lei
 “Todo corpo mergulhado numa banheira faz tocar o telefone”

Solução: Aceite e resolva seus problemas

Aqui vários exemplos poderiam ser usados. Como por exemplo: basta o programa de TV ser muito bom, que o telefone toca.

A verdade é que o telefone vai tocar. Só que quando você está ocupado, isso se torna um fato problemático. Quando você não tem o que fazer e o telefone toca, isto não te aborrece e você nem liga.

Quanto antes você aceitar que problemas fazem parte da vida, menos você vai se aborrecer quando estiver à frente de um. Quanto mais você tentar fugir de problemas, ao invés de enfrentá-los e resolvê-los serenamente, mais irritado você ficará quando acontecerem. E pessoas irritadas não conseguem resolver problemas.

Eu diria que o pior de tudo neste caso, é que a não aceitação da existência de problemas, faz o indivíduo fingir que eles não existem. O caso de negação típica. De alguma forma algumas pessoas acham que negar a existência dos problemas é mais confortável do que assumi-los.

Temos nesta linha os famosos líderes com audição seletiva. Parece que quando a equipe precisa deles, eles tentam convencer a equipe do contrário.

Isto dá quase sempre no mesmo: falta de respeito a equipe perante seu chefe. Traduzindo isto, a equipe “tolera” o chefe. Nada bom para o exercício de liderança. Nada bom mesmo.

Então onde me leva esta segunda lei


  •  Espere problemas como uma consequência natural do processo. Aceite que eles vão acontecer e confie na sua capacidade de resolvê-los. 
  • Não confunda um problema, com o meio pelo qual ele chegou até você. Você não ganha a guerra com o inimigo matando o mensageiro.
  • Se as pessoas puderem confiar que você é um porto seguro no momento de um problema, elas passam a confiar mais em você. Tudo de bom para a liderança ...

 

3° Lei

“A informação mais necessária é sempre a menos disponível”

Solução : Nada é fácil. Confira.

E aqui estamos, com a Meca dos desconfiados.

Em um mundo conectado, informação é o que não falta. O melhor lugar para esconder uma agulha, talvez seja um palheiro.

É disso que trata essa lei. Vivemos um momento, onde tudo é questionável. Fake News, vídeos falsificados, fotografias trabalhadas, e até inteligência artificial imitando vozes.

Ao mesmo tempo, teorias da conspiração, treinamentos, cursos, livros, apostilas etc. sem base técnica, são divulgados e vendidos, por “influencers”, cujo currículo talvez seja o fato de ficar o dia inteiro postando nas redes sociais.

Quando você precisa de uma informação, o mais comum é você ter diversas fontes sobre o mesmo assunto. Isso não é uma coisa tão boa quanto parece, a facilidade de criar informação, acaba impactando na qualidade do que foi criado.

Bem, imagine este cenário hipotético: um pesquisador leva 5 anos para concluir que clara de ovo não altera sua pele. Mas uma "influencer", posta há mais de 5 anos, que tem a melhor pele do mundo, porque usa clara de ovo.

Então para onde vamos com a terceira lei?

  • Se você tiver um trabalho para fazer, eu precisar de uma informação, nunca aceite somente a primeira. Questione, procure mais, e tome sua decisão. 
  • Capriche na procura de informação, não seja limitado. 
  • Cada minuto perdido, cuidando da informação que você vai usar, provavelmente vai te render vários outros minutos de sucesso. 
  • Sim, a vida é dura. Não procure o caminho mais fácil. Procure o melhor.


4°Lei
“A fila do lado sempre anda mais rápido”

Solução: Não, não anda. Você é que está com pressa.

Aqui nós temos duas situações importantes: Em primeiro lugar tomar uma decisão baseada em apenas uma observação pontual, é a mãe de vários erros. Esse é um caso típico: eu vejo a fila ao lado andando e acredito que a minha ficará sempre parada. Para saber se isso é verdade eu preciso observar mais.

De mesma forma, em face a um problema, antes de sair tomando atitudes em cima de poucas informações, procure enxergar o contexto. Ao contrário do que o nosso imediatismo pode pedir, tomar o caminho errado sempre foi mais demorado do que esperar um pouco e descobrir o caminho correto.

Em segundo lugar, o mundo não gira em torno de nós. você não pode ficar a mercê de decisões e atitudes tomadas no calor do momento.

Estar com mais ou menos pressa não muda a velocidade de um atendimento, já a fila é a mesma, embora sua percepção seja alterada. Questione a sua percepção sempre. Como já dizia Sun Tzu, Conhecer a si próprio e conhecer o inimigo: mil batalhas travadas, mil vitórias.


Vamos ficando por aqui. Em outro artigo continuamos com mais das Leis de Murphy ;)



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A privacidade e o caso do WhatsApp

O que WhatsApp ensinou ao Facebook