COMPREI UMA FRANQUIA, E AGORA?

 

COMPREI UMA FRANQUIA, E AGORA?



por Camila Castagna

A maioria das pessoas acredita que comprando uma franquia o caminho será mais fácil, pois a ideia vendida é que os processos já estão prontos, a fórmula do sucesso já existe, e ao franqueado cabe apenas replicá-la.

Mas nem tudo são flores neste caminho!

Assim que você compra sua tão sonhada franquia, inúmeras exigências normalmente começam a ser solicitadas pela franqueadora, desde o projeto de reforma até o estabelecimento de padrões de trabalho, com base em suas diretivas ratificadas.

A partir daí, tudo o que você imaginava que pudesse implementar para que o empreendimento ficasse à sua cara, fica limitado, pois você passa a ser a representação da marca em sua região, tal e qual como foi concebida, e será cobrado como tal.

E a franqueadora considera que as questões básicas de administração já sejam dominadas pelo franqueado... ;)

 

Então, como fica a rotina?

Nos Preços e processos
Os preços e os produtos passarão pelo direcionamento da franqueadora, ou seja, você não terá autonomia para modificá-los.

Rotineiramente, os processos serão auditados, e qualquer falha operacional será evidenciada com a consequente correção imediata exigida, podendo até gerar multas em casos extremos de ações não padronizadas.

No Marketing
Geralmente, as ações de marketing nacionais são realizadas pela franqueadora, utilizando parte do valor pago de royalties e/ou outras taxas.  As ações locais ficam por conta do franqueado, como qualquer outro tipo de empreendimento.

No Administrativo
Os números lançados pelo franqueado no sistema disponibilizado pela franqueadora fica à disposição deles o tempo todo, seja lançamento de notas, emissão de vendas ou contagem de estoques, para que o monitoramento seja em tempo integral, a fim de que pontos de melhoria possam ser identificados.

No RH
O recrutamento da mão-de-obra fica a cargo do franqueado, que necessita de todo o aparato de conhecimento legal, mesmo que seguindo alguma diretiva da franqueadora, pois cada região possui seu próprio Sindicato, piso salarial, peculiaridades, etc.

Os controles de retaguarda administrativos são iguais a qualquer outra empresa, ou seja, devem ser bem controlados e geridos pelo franqueado.

Como você viu, nem todos os franqueados ou aspirantes a franqueados, pararam para pensar e se dar conta de como é a rotina perante a representação de uma marca, e ainda tem muito mais situações que poderiam render um livro aqui.

Aí fica a pergunta: você está preparado para ser um franqueado?

Administrativamente, uma franquia, na verdade se assemelha mais a uma representação do que a uma filial, e a rotina do franqueado assemelha-se mais à de um gerente do que a de um proprietário.

Embora a aquisição de uma franquia represente um salto na abertura do negócio, os desafios fundamentais estão por conta de poder gerir um negócio com um grau de liberdade muito menor do que um empreendedor independente.

Questões de custos, controle de estoque, fluxo de caixa, questões legais, toda a administração de implantação ( obra, fiscalização, contratações, rescisões, treinamentos, deliveries etc... ) são sempre responsabilidades intrínsecas do franqueado, e representam na prática o maior motivo de insucesso em algumas iniciativas de franquia.

Nós podemos ajudá-lo a proteger seu investimento, fornecendo apoio necessário, por meio de mentorias e consultorias em tudo o que ainda precisa ser feito para garantir o sucesso do seu empreendimento.

Procure-nos.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que sua privacidade e anonimato online são importantes?

Reuniões Produtivas parte 2 - A Execução

A difícil Arte da Confiança